PUBLICIDADE

Uma nova MULAN no Disney Plus

No fim das contas, o live action é muito bom. É ridículo criticar de forma negativa um longa tão bem elaborado, seja comparando-o com o original,
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Lançado direto para a plataforma de streaming Disney+, Mulan (2020) não teve a oportunidade de estrear nas salas de cinema por conta da pandemia mundial do Covid-19. Pela bagatela de 30 dólares, os assinantes alugam o filme como é feito em serviços como o Net Now e outros serviços de TV por assinatura aqui no Brasil. Creio que seja uma grande discussão a qual não há necessidade de detalhar, mas já digo que foi uma estratégia muito boa que infelizmente não atendeu às expectativas da empresa do rato mais querido do planeta.

+assista o desenho clássico no NOW

Pode não ser a maneira mais correta, mas chamaremos essa versão nova do longa de reboot. É simples: o mais novo longa em live action da Disney não se preocupou nem um pouco em correlacionar a história original (a animação de 1998) com o que foi produzido na versão atual. Um erro? Muitos acham que sim, a crítica deu uma média de 78% enquanto a nota dos fãs foi algo em torno de 55% (fonte: Rotten Tomatoes).

divulgação / Disney

A grande polêmica que fica bem clara aos olhos do espectador é que existiu uma expectativa muito grande com todo alívio cômico e com as músicas. No caso da trilha sonora, confesso que não via problema em agregar as canções de volta no longa. Felizmente, nem as músicas fizeram falta no projeto.

Como em qualquer produção, existem defeitos: o longa peca demais em efeitos visuais e em diálogos. No primeiro porque existe um jogo de câmera que tenta trazer dinamismo a imagem mas ao contrário, a deixa distorcida e incomoda um pouco. Chega a ser cômico pois algumas sequências tentam copiar a fotografia de Matrix, o que é um erro grave pelo simples fato de estarmos em 2020 e utilizando técnicas de um filme de 1999. 

+No outro especial da Disney, descubra porque o Rei Leão é especial para João Veras.

Com relação aos diálogos, a questão, ao meu ver, não é a falta deles como muitos críticos colocaram. Não consegui me apegar a nenhum personagem, na verdade, sendo sincero, não sei o nome de nenhum personagem fora Mulan. Aliás, muitos diálogos pré algum confronto são muito bobos e isso incomoda um pouco.

divulgação / Disney

O reboot de Mulan traz uma proposta completamente diferente do original. É necessário esquecer qualquer aspecto que remeta o telespectador ao longa de 1998, pois o live action possui caráter maduro e completamente adequado aos moldes atuais. Seu problema é a falta de Mushu? Esqueça, em Mulan (2020) ninguém sabe que o personagem existe. Até as cenas mais engraçadas não são bobas.

No fim das contas, o live action é muito bom. É ridículo criticar de forma negativa um longa tão bem elaborado, seja comparando-o com o original, questionando a falta de referências à primeira versão ou reclamando da fidelidade à lenda chinesa de Hua Mulan. Se você está lendo isso, não seja essa pessoa.

Mulan (2020) está disponível na Disney+ que por enquanto não chegou ao Brasil. A plataforma já tem data para ser lançada no país, em novembro ainda deste ano. Muito obrigado por ler a crítica e até a próxima!