PUBLICIDADE

Retrô 2019 por Babi Cardoso

Primeira parte da nossa retrospectiva do ano, venha descobrir o que Barbara curtiu!
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

clique aqui para ir a página da Retrô 2019

Chegamos ao fim de 2019, ano que trouxe altos e baixos no meio audiovisual. Grandes promessas, algumas cumpridas e outras não, filmes e séries que chegaram de surpresa, grandes encerramentos e a abertura de novas portas. Além disso, 2019 também carregou consigo a gradativa visibilidade de pautas das minorias, enaltecendo-as e trazendo o debate para todos os meios. Apesar de em 2019 eu ter desfrutado de tantos momentos de entretenimento em frente às telas, aqui somente será elencado 3, não apenas por questão de qualidade, mas por aqueles que também me marcaram pessoalmente e que com certeza fizeram meu ano e me marcarão por muito tempo.

 Queer Eye

Eu não curto muito documentários, mas Queer Eye falou comigo de maneiras que eu mal consigo explicar. Queer Eye trata-se de uma série de makeover em que cinco homens LGBT adentram a vida de uma pessoa e não apenas renovam o seu look, mas as ensina muito sobre amor próprio, autocuidado, valorização de suas culturas, apreciação das próprias conquistas. Os momentos este ano que eu chorei os assistindo mudar a vida das pessoas são incontáveis. Em 2019 duas temporadas foram lançadas, sendo que uma delas foi um especial no Japão o qual merece muitos aplausos pela visibilidade e cuidado com o qual foi tratado aquela sociedade. Queer Eye é uma série super importante que merece ser assistida por todos.

  POSE

Se Queer Eye merece ser assistindo, POSE então tem a obrigação de ser vista por todo e qualquer ser humano. Eu acredito piamente que o simples fato assistir esta série já te torna uma pessoa melhor. Baseado no documentário Paris is Burning(1999), a série retrata a situação real da comunidade trans dos guetos de Nova York nos anos 1980, como numa sociedade que os rejeita, aqueles encontram seu espaço no mundo dos bailes e nos passos de vogue. Além do preconceito e da luta trans, a série também aborda o começo da proliferação dos vírus HIV, e a força que a comunidade LGBT encontra dentro de si mesma. A segunda temporada estreou este ano, rendendo a Bill Porter um mais que merecido Emmy, e assim como a primeira, me fez chorar em todos os episódios.

  Vingadores: Ultimato

Perdoem-me, mas eu simplesmente não poderia deixar de foram o encerramento desta saga. Pode haver as críticas que forem mas se deve dar os devidos créditos à MCU por anos de planejamento de uma saga e a conclusão bem amarrada, com uma história emocionantes e momentos que fazem o coração acelerar só de pensar. Como vimos este ano, tem sido muito difícil concluir com chave de outro (poxa, Game of Thrones e Star Wars), mas a saga Vingadores o fez de maneira que me marco, me fez chorar e com certeza não esquecerei por muitos anos.

Bom, estes foram os meus favoritos de 2019, lembrando eu amei muitos outros filmes e séries, apenas não cabiam nesta lista. E sim, eu sei que houveram outros com muito mais qualidade, mas este foram o que mais falaram comigo. E você, quais foram os seus favoritos de 2019?

PUBLICIDADE

AS 
ÚLTIMAS