Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

O retorno da praticamente perfeita em todas as formas

5/5
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

O Retorno de Mary Poppins resgata a magia e alegria do original.

Preparem os guarda-chuvas e a imaginação porque um dos grandes filmes
aguardados em 2018 coroou o final de ano com sua animação, alegria e nostalgia.
Quem nunca viu ou ouviu falar de “Mary Poppins“? A babá mágica que te transporta
para um misto de realidade e fantasia enquanto ensina disciplina e arrumação
conquista o coração de todas as idades desde 1964. O longa baseado em livro
homônimo de P.L. Travers ganhou vida e encantou o mundo com sua simplicidade e
suas músicas originais. Agora, 54 anos depois, a querida babá retorna em mais uma
aventura nas telonas do mundo inteiro em “O Retorno de Mary Poppins“.

Ouça aqui no Papo Cinefans, o que achamos da primeira premiação da temporada, o Globo de Ouro.

O Retorno de Mary Poppins – Walt Disney Pictures

Nessa continuação da história, situada em 1929, os protagonistas agora são
Jane e Michael Banks, os filhos de George Banks no filme original, só que agora já
adultos e com seus próprios filhos. Dívidas acumuladas levam advogados a darem um
ultimato a Michael Banks e seus três filhos: pagar toda a quantia até sexta-feira a
última badalada da meia-noite de sexta-feira ou eles vão perder a casa em que
cresceram. Em meio ao caos para conseguir o dinheiro para quitar a dívida, além do
amadurecimento precoce das novas crianças Banks e da falta de esperança, só uma
pessoa pode salvar todos: Mary Poppins.

Veja aqui algumas indicações de filmes da Disney feita por nós!

Dirigido por Rob Marshall, conhecido por “Caminhos da Floresta” (2014),
Annie” (1999) e “Chicago” (2002), o longa da Disney é uma verdadeira obra de arte
para os olhos e ouvidos dos espectadores, com músicas originais profundas e belas,
além de efeitos especiais muito bem executados. Certamente os estúdios Disney não
mediram esforços para dar vida ao novo filme da babá mais adorada do mundo. A
escalação de atores também não deixou a desejar, apesar de fazer falta a presença
do querido limpador de chaminés do filme original, Bert (Dick van Dyke), mas que deu
lugar ao carismático Jack (Lin-Manuel Miranda), o acendedor de lampiões.

A criançada também adora essa, “Desventuras em Série”, leia aqui o que esperar da temporada final.

Não podemos deixar de comentar a atuação carismática e adequadamente
adaptada de Emily Blunt. Apesar da encenação muito parecida com a original e uma
boa tentativa de reconstruir a atmosfera do filme de 1964, a personagem de Blunt
adquiriu um ar relativamente diferente da Mary Poppins de Julie Andrews, com uma
relativa banalização das expressões caricatas e um ar mais brincalhão que
anteriormente não condizia com a personagem. No final, o saldo da reincenação de
Emily Blunt continua positivo, reforçando o grande potencial da atriz mais uma vez.

O Retorno de Mary Poppins – Walt Disney Pictures

Sobre a narrativa, a imaginação voa ao mostrar todo o universo mágico que
Mary Poppins traz não apenas para as novas crianças Banks, Georgie, John e
Annabel, mas também para as antigas crianças Banks, Michael e Jane. Entretanto,
faltou um pouco de criatividade no momento de escrever o roteiro. Pelo menos
três cenas de “O Retorno de Mary Poppins” (2018) repetiram dinâmicas do filme original,
Mary Poppins” (1964). A dança com os acendedores de lamparinas remete muito a
dança anterior com os limpadores de chaminés, assim como entrar no vaso e parar
em um parque de diversões também se assemelha à cena antiga em que Mary
Poppins
, Bert e as crianças entram na pintura e param em um parque. Além disso, a
inserção de uma trama de ação durante o festival dentro do vaso não condiz muito
com a premissa leve e divertida do filme.

Veja aqui o original “Mary Poppins” no Netflix

O roteiro pode ter pecado na originalidade, mas não pouparam nas referências
ao longa original. Em diversos momentos da narrativa, músicas de fundo, cenas e até
mesmo diálogos remetiam a fatos e canções de “Mary Poppins“. Dentre elas, a cena
do banco foi a mais marcante, reforçando que os investimentos do pai no primeiro
filme seriam cruciais para a narrativa nova, além de contarmos com a aparição de Dick
van Dyke
, o antigo Bert, no novo filme. O ator, que já completou 93 anos, ainda
trabalha como ator e, em seu momento na história, mostrou que esbanja vigor e
carisma na atuação. Os fãs do longa de 1964 se emocionaram, riram e se divertiram
com todas as alusões a acontecimentos, músicas e fatos, tornando “O Retorno de
Mary Poppins
” a cereja do bolo da babá preferida.

Veja aqui o original “Mary Poppins” no Claro Video da Net (sujeito a cobrança de plano adicional)

Esse filme marcante da infância de milhões de crianças das mais diversas
gerações mexe com a nostalgia dos fãs em cada nota musical ou passo de dança.
Nessa continuação, o coração fica mais quente ao ver personagens queridos, mesmo
interpretados por outros artistas, voltando às telonas para encantar os amantes do
filme, os recém-chegados e até mesmo quem nunca ouviu falar de Mary Poppins. Os
estúdios Disney trouxeram as magias mais antigas de todas mais uma vez: o amor e a
amizade.

No Fanzimetro, a volta da Babá mais querida merece
NOTA: 5