livro | “O Cemitério” de Stephen King

O que eu mais amo nesse livro é o fato de que vemos cada personagem lidar com a morte de uma forma distinta e temos diversas questões que a envolvem também: religiões distintas, o sobrenatural e a medicina.

PUBLICIDADE

Mais sobre o universo dos livros no 

compre aqui a sua edição de “O Cemitério” de Stephen King

“A morte é um mistério, o sepultamento um segredo”

Olá, pessoal como vocês estão nesse mês tão especial de Halloween? Esse mês eu vou trazer indicações de terror, não só pelo mês, mas porque eu amo o gênero e não poderia deixar passar essa data tão importante. Como a maioria deve saber, Stephen King é um dos autores mais conhecidos, além de ter suas obras adaptadas em diversos filmes e séries por aí. Acho que nada mais justo que começar indicando um dos seus livros, e vou indicar um pequeno do autor, o Cemitério (243 páginas) e que se você ainda não leu nada dele, vale a pena para já conhecer como é o seu estilo de escrita que consiste muito em terror psicológico e com personagens e cenas altamente descritivas.

O cemitério nos conta a história de Louis Creed um médico de Chicago que se muda para uma pequena cidade do Maine com a esposa Rachel e os filhos Ellie e Gage, quando é convidado a trabalhar em uma Universidade do interior. Assim que chegam na casa nova, eles fazem amizade com um vizinho idoso chamado Jud Crandall que os leva para um passeio e ele os apresenta a um “Simitério”, local onde as crianças da região usam para enterrar seus animais de estimação que geralmente são mortos pela rodovia local.

+Remake da adaptação de Cemitério Malditos, sucessso dos anos 80 não faz jus a obra que se baseia e não agrada nos tempos atuais

divulgação / Companhia das Letras – SUMA

O livro é muito descritivo e vamos entrando na rotina da família e logo acontece um grave acidente na universidade e Louis fica completamente atordoado. A morte nesse livro vai ser retratada de diversas formas, por exemplo, Rachel tem medo da morte, e a filha pequena do casal começa a se questionar sobre “para onde vamos quando morremos?” após o primeiro contato deles com a morte.

Esse contato, que é a morte do gato de Ellie é que vai trazer a grande reviravolta da trama, onde descobrimos que para além do “simitério” existe um lugar chamado Micmac e ele traz tudo o que está morto de volta à vida.

+Tendo em vista esse panorama histórico, é possível ver não só em O Grande Gatsby, mas em outros do autor a sua crítica a sociedade rica que vivia de festas, bebidas, status, riqueza e futilidades.

divulgação / Paramount Pictures

O que eu mais amo nesse livro é o fato de que vemos cada personagem lidar com a morte de uma forma distinta e temos diversas questões que a envolvem também: religiões distintas, o sobrenatural e a medicina. E acima de tudo a grande mensagem para mim é: às vezes é melhor que os mortos continuem mortos.

Uma ótima pedida é ver as duas adaptações desse livro, a de 1989 é super fiel a obra e tem disponível nas plataformas de stream, e a mais recente de 2019 assisti no cinema e gostei, mas teve mudanças mais drásticas com relação ao livro, mas traz um ar mais sombrio do que a versão antiga. Gostaram da resenha? Espero que sim, me diz aí se vocês também gostam dos livros do Stephen King, se já leram esse ou se querem ler ainda? Para mais dicas de livros me acompanhem no instagram @fofocasliterarias. Beijos e até a próxima.

Mais sobre o universo dos livros no