PUBLICIDADE
Godzilla 2 - O Rei dos Monstros - Warner Bros. Pictures
Godzilla II - O Rei dos Monstros - Warner Bros. Pictures

Godzilla, o Rei dos Monstros voltou!!!

Godzilla, o monstro mais visto do cinema está de volta para provar que é ele que manda no pedaço.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

clique aqui para comprar seu ingresso para “Godzilla 2 – O Rei dos Monstros”

Olá Cine Fans, depois de 5 anos de espera está de volta às telonas a franquia mais legal de filmes de monstro/catástrofe que existe, ela mesmo, a franquia de Godzilla – mesmo que na versão norte americana. No filme, que é continuação direta do filme de 2014 e mais uma interação do Universo de Monstros da Warner, o nosso monstro principal enfrenta uma horda de “Titãs” e um inimigo mais poderoso.

Vamos falar sobre o filme, eu digo a vocês que gostei mais desse segundo talvez porque o primeiro já tenha explicado bastante desse universo para nós. Até o drama familiar dos Russells funciona bem para a história mas como sempre digo que nem tudo são flores acredito que por querer mostrar tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo eu achei o final um pouco corrido com resoluções não tão aceitáveis.

MAIS AQUI: Outro lançamento dos cinemas, a cinebiografia do genial criador de Senhor dos Anéis e O Hobitt, aqui nossa opinião sobre “Tolkien”

Em relação ao elenco, tive mais surpresas positivas que negativas assistindo o filme. Vou começar logo tirando o chapéu para Vera Farmiga e pro Kyle Chandler (a dupla principal) que foram muito bem nos seus papéis. Outro ponto altamente positivo foi, mais uma vez, Ken Watanabe que já tinha ido muito bem no mesmo papel no filme anterior. Minha decepção foi com a Millie Bobby Brown, que pareceu não ter se encontrado no filme. Apesar de ter feito uma ótima parte final.

E uma leve observação, poderiam ter dado um papel de mais destaque para Mr. Charles Dance (mundialmente conhecido como Lorde Tywin Lannister) que fez um dos vilões – e realmente ser mau é como ele viu.

“Godzilla II – O Rei dos Monstros” – Warner Bros. Pictures

A história, que basicamente é igual a todos os filmes já feitos do Godzilla começa 5 anos depois dos eventos do filme de 2014 onde os monstros, ou “Titãs” como são chamados desaparecem enquanto a Monarch, a mesma corporação do filme anterior, tenta entender e controlar os monstros.

AVISO:
A PARTIR DESSE PONTO, SPOILERS DO FILME QUE IRÃO PREJUDICAR SUA EXPERIÊNCIA CASO AINDA NÃO TENHA ASSISTIDO. VOCÊ FOI AVISADO

Logo que é mostrado que o Senado norte-americano quer passar o controle da empresa para os militares, a Dra. Emma Russell (Farmiga) que estava criando um aparelho capaz de emitir ondas que acalmariam as feras, se junta com um eco terrorista (Dance) para despertar os monstros e reiniciar o planeta sem a ganância e a destruição da humanidade atual.

OUÇA TAMBÉM: Papo Cinefans de final de temporada vem para debater sobre o futuro da TV no Brasil, e ainda falamos da Rede Globo e Globoplay.

Evidentemente o plano fracassa quando eles despertam uma criatura assustadora e com alto poder de destruição, Ghidorah. E após muita destruição, famílias se separando e se encontrando, sacrifícios heroicos e uma batalha fantástica no final (Obrigado CGI). Godzilla destrói Ghidorah e é proclamado “Rei dos Monstros” por todos os monstros restantes.

“Godzilla II – O Rei dos Monstros” – Warner Bros. Pictures

Finalizando, esse segundo filme tem muito da pegada do anterior, quase copiando a narrativa. Como citei antes no texto, o drama familiar funciona bastante em favor da história tirando algumas falas clichês e situações que acho que não deveriam acontecer.

Preciso dizer que como fã das antigas de Godzilla fiquei bem tocado com as aparições de Rodan, Mothra, Ghidorah (todos repaginados, é claro) mas foi um belo toque para o pessoal mais antigo e quem gosta mesmo, Inclusive tem sequências que farão quem viu aquele desenho dos anos 80 da Hanna Barbera (aquele com o Godzuki) sentir um pouco de nostalgia. Os efeitos como sempre em filmes blockbusters são espetaculares, a ponto de você acreditar que aqueles monstros realmente existem. A trilha sonora também ajuda bastante a contar o que acontece na telona.

Recomendo assistir mesmo quem não seja tão fan do Godzilla ou de filmes de monstros porque vão ser 2 horas de bom divertimento. E agora é aguardar Godzilla versus Kong. Até a próxima.