PUBLICIDADE
Star Wars: Ascensão Skywalker - © LucasFilm

Crítica: Star Wars – A Ascensão Skywalker

Na conclusão de todas as sagas, heróis e vilão fazem o seu melhor mas história derrapa demais para ser inesquecível.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

compre aqui seu ingresso

Depois de 42 anos nos divertindo e às vezes nos irritando, chegou ao final a Saga da família Skywalker em Star Wars que nos proporcionou os maravilhosos heróis Luke, Leia e junto o Han Solo e também o maior vilão dos cinemas, Darth Vader (pesquisa feita comigo) e o final não me agradou muito, preciso dizer.

+aqui: Trama inédita de Carcereiros mostra o cotidiano do presídio e vira um caça de gato e rato onde o prêmio é sobreviver.

Fui ver Star Wars: A Ascensão Skywalker com expectativas baixas devido as decepções dos filmes anteriores e acho que foi a melhor coisa que fiz porque não me decepcionei e ainda me empolguei em algumas cenas. Foram poucas!

Star Wars: Ascensão Skywalker – © LucasFilm

Uma das coisas que mais incomodou no filme foi a falta de critérios do diretor J.J. Abrams na hora de decidir o ritmo das cenas. Uma hora a ação é toda corrida e cheia de cortes secos que fazem você ficar perdido e outras cenas são extremamente lentas que te fazem viajar e esquecer o que aconteceu antes. E nesse quesito o filme poderia ter sido mais longo pois a sua duração de 2h22min se mostrou curta para tantas coisas que precisavam de um final.

E sem mais enrolação vamos falar do filme, bem, a história começa num ritmo muito acelerado – o que me fez ficar levemente perdido com o que acontecia – para introduzir alguns elementos que eram necessários para o desenvolver da trama e também logo no início vemos o quanto J.J. demonstrou que não é fã de “Os Últimos Jedi” mas chegaremos esse ponto mais a frente.

+também: Terceira parte da saga de Mike Banning que dessa vez precisa provar sua inocência e salvar o Presidente em Invasão ao Serviço Secreto.

Vamos falar dos personagens, a tríade principal (Finn, Rey e Poe) funciona muito bem sendo o ponto alto do filme em vários momentos e destaque mais que especial para a homenagem em tela para a querida Princesa/General Leia (Carrie Fisher) que foi um momento tocante e marcante para todos os fans da saga e acredito a todos em geral. O resto dos personagens ficaram meio jogados na tela esperando suas falas durante a exibição do longa, e finalmente Adam Driver (Kylo Ren) funciona e bem melhor que nos outros dois anteriores.

Star Wars: Ascensão Skywalker – © LucasFilm

Como fora mostrados nos inúmeros trailers e teasers lançados as batalhas espacias e de lutas com os sabres de luz são fantásticas e de um apuro incrível, palmas para todos os envolvidos. E pena que não pode ser dizer o mesmo do roteiro que tem algumas falhas no ritmo, minha maior decepção porque em vários momentos o filme parecia que precisava mostrar tudo de uma vez, e contradizem algumas vezes o que aconteceu na própria saga.

E para não ficar muito comprida essa crítica foi colocar assim, eu achei o filme melhor que o anterior, “Os Últimos Jedi” mas continuou no mesmo nível mediano dessa trilogia que não me empolgou nem um pouco mas vá ao cinema se divertir e depois volte e conte o que achou do final da saga dos Skywalker e quais as cenas que mais te emocionaram na telona porque o que mais tem no filme são fanservices para deixar o coração dos fans bem quentinho e acalentado. Por enquanto é só nos vemos numa próxima.