Critíca: IT Capítulo 2

Continuação de clássico do terror mantém a atmosfera do filme anterior e amplia a mitologia do palhaço assustador.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
Tempo de leitura: 3 minutos

compre aqui seu ingresso para assistir “IT: Capítulo 2” nos cinemas

Finalmente chegou a continuação tão esperada de It – A Coisa, o ótimo filme de 2017 – It: Capítulo 2 que chega para concluir a trama iniciada no filme anterior. E digo logo de cara para vocês, gostei mais desse do que o primeiro apesar que esse tem falhas pesadas também.

IT; Capítulo 2 – New Line Cinema / Warner Bros.

Bem vamos ao filme, a história se passa 27 anos após os eventos do primeiro onde os jovens do Clube dos Perdedores de Derry acharam que tinham derrotado o palhaço Pennywise mas na verdade eles apenas o feriram e ele ficou se regenerando durante todo esse ciclo. E quando estranhos assassinatos começam a acontecer na cidade, MIke (Isaiah Mustafa) chama a turma toda para a cidade. E após uma divertidíssima introdução dos Perdedores, já começo fazendo um destaque para a atuação do Bill Hader – perfeito, conseguiu capturar bem o jeito que Finn Wolfhard fez no primeiro filme.

AQUI TAMBÉM: Yesterday, a sessão da tarde que você precisa ver

Bem, na hora que todos são enviados para missões individuais é que complicou um pouco o filme para mim, as sequências são essenciais sim para a trama mas ficaram muito longas com muita “barriga” nelas comprometendo aquela dinâmica instigante que o filme anterior possui mas para a sorte do filme e alegria dos fans a escolha do elenco foi perfeita, mesmo, não consegui achar ninguém abaixo que pudesse comprometer. E fora que eles estão muito parecidos como os atores do primeiro filme.

IT; Capítulo 2 – New Line Cinema / Warner Bros.

Um outro destaque do filme é a atuação de Bill Skarsgård como o palhaço Pennywise que nesse filme aprofunda mais na mitologia do personagem e na minha humilde opinião está mais assustador que no primeiro filme. E nessa parte do palhaço eu estava gostando muito de tudo que mostravam até que resolveram modificar e ampliar demais a mitologia criando um história de origem para a entidade que para mim não funcionou mas não compromete em nada.

MAIS AQUI: Nono filme de Tarantino tem falhas demais mas em vários momentos mostra a essência que o consagrou.

Um detalhe que sempre me chama a atenção nas produções baseadas na obra do Stephen King são como serão representadas as cidades porque o autor coloca muita ênfase nesse ponto e elas acabam virando mais um personagem das histórias e a representação de Derry, a cidade ficcional no Maine ficou impecável e acredito que leva você para dentro da cidadezinha do interior dos EUA.

IT; Capítulo 2 – New Line Cinema / Warner Bros.

Um outro ponto foi a trilha sonora e a direção de arte que mesmo com a história se passando em 2016 em muitas cenas nos leva para os anos 80 e a participação dos jovens atores do primeiro filme fazem a diferença e traz um charme a mais. E fiquem ligados para a participação especial do próprio autor e mais que isso não falo.

Recomendo que vejam porque mesmo sendo um pouco mais longo que o necessário, está faltando bons filmes de terror no mercado, não é mesmo? Fico por aqui agradecendo quem chegou aqui e não pode reclamar que está crítica está menos que o filme. Então comentem aqui depois que ver o filme.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: