PUBLICIDADE

Crítica | Ford vs. Ferrari – Três Sonhos em Alta Velocidade

Ford vs Ferrari corre por fora na disputa pelo Óscar de Melhor Filme mas não deixa de fazer bonito na telona
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

compre aqui seu ingresso

Ford vs Ferrari | Trailer Oficial 2 | Legendado HD

Ford vs Ferrari (2019) é o mais novo filme dirigido por James Mangold (Logan). Ele é baseado em uma história real e concorre a quatro prêmios do Óscar 2020: Melhor Filme; Melhor Edição de Filme; Melhor Edição de Som; e Melhor Mixagem de Som. A produção ficou a cargo da Cherin Entertainment; TSG Entertainment; e da Turnpike Films. E a distribuição foi feita pela 20th Century Fox.

+Terror psicológico que excede em todos os níveis possíveis e que merece atenção pela sua qualidade.

Na década de 1960, a Ford Motor Company pretende superar a Ferrari nas 24 Horas de Le Mans, uma tradicional corrida de carros. Dessa forma, Henry Ford II (Tracy Letts), o diretor executivo da Ford, e Lee Iacocca (Jon Bernthal), o vice-diretor executivo da Ford, contratam Carrol Shelby (Matt Damon), um piloto de corrida aposentado, e Ken Miles (Christian Bale), um piloto de corrida talentoso e temperamental, para construir um carro de corrida capaz de superar a velocidade das Ferraris. Portanto, o destino das companhias e dos homens envolvidos na disputa entram na pista em busca da vitória e de toda a glória.

Ken Miles (Christian Bale) e Carrol Shelby (Matt Damon) “Ford vs Ferrari” – Cherin Entertainment; TSG Entertainment; Turnpike Films/20th Century Fox

A trama do filme se desenvolve de forma dinâmica e foca nas disputas internas do projeto de carro de corrida da Ford Motor Company. Por um lado, Carrol Shelby tem a convicção plena de que Ken Miles é o homem certo para competir na corrida. Em contrapartida, os executivos Lee Iacocca e Leo Beebe (Josh Lucas) acreditam que o temperamento forte de Miles é um risco para o projeto e a imagem da companhia. Enquanto isso, a Ferrari segue favorita e preparada para conquistar mais uma vitória em Le Mans. Dessa forma, a fé de Shelby tem a árdua tarefa de convencer Henry Ford II a fazer as coisas do seu jeito; e Miles deve aprender a ser menos impulsivo e a trabalhar em equipe para ter a chance de competir na grande corrida.

+Trata-se de uma bela história contada de forma magistral e repleta de entretenimento, mas prefiro os filmes mais empolgantes do cineasta.

Ken Miles e Peter Miles (Noah Jupe) “Ford vs Ferrari” – Cherin Entertainment; TSG Entertainment; Turnpike Films/20th Century Fox

O principal tema do filme são os sacrifícios feitos em prol da realização de um sonho. Henry Ford II sonha em superar a Ferrari para aumentar o lucro e o prestígio de sua companhia, fundada por seu lendário avô, Henry Ford I. Impossibilitado de pilotar carros de corrida, Carrol Shelby sonha em ainda conseguir participar de grandes projetos automobilísticos com altas apostas e desafios. E o esquentado Ken Miles sonha em competir nas 24 Horas de Le Mans. Por fim, os sonhos dos três homens coincidem uns com os outros em um evento que marcou a História do Automobilismo.

Mollie Miles (Caitriona Balfe) “Ford vs Ferrari” – Cherin Entertainment; TSG Entertainment; Turnpike Films/20th Century Fox

As performances de todos os autores foram muito boas, mas nenhuma das grandes estrelas surpreende o espectador. Christian Bale (Vice) incorpora muito bem na pele de um piloto de carros temperamental e individualista. Ele consegue conciliar com perfeição a natureza intensa do personagem com o seu lado sonhador e determinado. Matt Damon (Perdido em Marte) vende a imagem de um ambicioso piloto de carros aposentado com maestria e carisma. Jon Bernthal (O Justiceiro) e Tracy Letts (The Post) tiveram alguns momentos de brilho como os executivos da Ford Motor Company, mas na maior parte do tempo foram discretos e adequados. Por outro lado, a atuação de Caitriona Balfe (Outlander) como Mollie Miles, a esposa de Ken Miles, foi de roubar a cena em diversas ocasiões. A personalidade forte da personagem combinada com a sua presença de palco (ou seria de set?) foram memoráveis e repletas de talento.

+ Numa disputa para ver quem é mais talentoso, detetive e culpado travam um jogo de gato e rato.

A direção de James Mangold foi adequada para uma produção desse calibre. O seu maior mérito foi ter conseguido criar um ritmo crescente de empolgação no filme que torna a experiência extremamente agradável e leve. Dessa forma, o diretor de Logan (2017) forjou uma experiência cinematográfica que sucede em conquistar a atenção tanto dos amantes das corridas quanto do público leigo.

“Ford vs Ferrari” – Cherin Entertainment; TSG Entertainment; Turnpike Films/20th Century Fox

Os aspectos técnicos do filme também são motivo de destaque. A qualidade do som é de altíssima qualidade e fornecem uma importante sensação de velocidade e intensidade aos carros de corrida. De resto, os efeitos visuais, figurino, maquiagem e trilha sonora foram adequados ao filme e trouxeram emoção quando foi necessário.

Portanto, Ford vs Ferrari corre por fora na disputa pelo Óscar de Melhor Filme de 2020, mas não deixa de fazer bonito na telona e contar uma história de sonhos, perseverança e trabalho em equipe que empolga todos públicos.