Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Segunda Temporada de O Mundo Sombrio de Sabrina - Netflix

AGORA SIM, O MUNDO SOMBRIO DE SABRINA!

A série continua não agradando totalmente, mas a segunda temporada foi surpreendente.
5/5
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

assista aqui todas as temporadas de “O Mundo Sombrio de Sabrina” no Netflix

E aí galera do Cinefans! Finalmente estou de volta para conversar com vocês via texto! Mas uma volta não é uma volta se não tiver uma saia-justa. E sim, como vocês já viram, minha queridinha bruxinha da série “o mundo sombrio de Sabrina” voltou, essa série que me dá arrepios de tão porcaria que continua sendo. Mas aguardem. Dessa vez vocês podem se surpreender.

Como todos sabem, a série teve sua estreia no ano passado, no final de outubro. Logo em dezembro, tivemos um especial de natal dessa história, controversa desde o início. Mas para um contexto, a série conta a história de Sabrina Spellman (Kiernan Shipka), uma meio-bruxa que no seu aniversário de 16 anos deve escolher se quer se tornar uma bruxa por inteiro e manter a tradição de sua família, assinando o livro da besta ou continuar na sua vida com seus amigos mortais e abandonar de vez o mundo da magia. Sua segunda temporada teve estreia em 05 de abril.

MAIS AQUI: Quer ver o que melhorou para a segunda temporada, leia aqui nossa opinião sobre a primeira de “O Mundo Sombrio de Sabrina”

Desde o início a história é muito fraca. A primeira temporada, como já comentei no review feito para o site, é completamente solta, não tem um foco específico. O arco construído na primeira metade da temporada é muito bom, mas a série se perde depois. Seria uma série com potencial que foi jogada no lixo pela direção, roteiristas e produtores?

O Mundo Sombrio de Sabrina – Netflix

Bom, passado é passado. Agora, na segunda temporada, Spellman continua em sua saga para derrotar Lúcifer (mas por incrível que pareça esse é o arco que fica meio perdido no final da temporada de estreia), só que dessa vez, em seu caminho aparecem mais demônios e até mesmo caçadores de bruxas extremamente devotos à um Deus que nem eu entendi direito quem era.

VEJA AQUI: Segunda temporada se comunica mais com a audiência e melhora bastante, nossa opinião sobre a segunda de “The OA”

A série continua enrolando muito. Parei para refletir sobre os motivos pelos quais a série, ao meu ver, não dá certo para mim. O ponto chave? Elenco. Kiernan, dos mais jovens, de fato é a melhor, até porque Harvey (Ross Lynch), o ex-namorado da bruxinha é um personagem extremamente sem sal e me faz passar raiva e ter vontade de jogar o rapaz no meio da rua esperando que alguém o atropele. O ator que dá vida ao coitado é fraco demais. Chega a ser deprimente. Depois do término dos dois, nessa temporada o personagem consegue outra paixão e que casal mais sem química, leitores. O roteiro também não ajuda muito. Eu ainda não consegui me adaptar à essa mudança total para um lado mais macabro de uma série de comédia.

O Mundo Sombrio de Sabrina – Netfflix

Mas depois de bater o martelo com tudo que há de ruim na segunda parte dessa história, ela também tem pontos positivos. A segunda metade da temporada mais recente é perfeita. Prende e faz o espectador torcer muito pelo que está por vir.  O quinto episódio é um divisor de águas da parte sensacional para a parte porcaria da continuação da história. Inclusive a temporada, desde o início traz assuntos extremamente pertinentes cheios de discussões políticas e sociais, foi um baque grande, não esperava por nada disso. Nos primeiros episódios Sabrina tenta derrubar o patriarcado presente na academia e na Igreja da Noite. Traz, também, questões de gênero, primeira vez (sim, essa mesmo) entre outras muito importantes para a atualidade. Ponto para a bruxinha! Mais um detalhe, a série deu margem para uma sequência e isso é importante para uma possível renovação.

MAIS AQUI: Série nacional mudando o jeito que o mundo vê nossas séries, estamos falando de “Coisa Mais Linda”, nossa opinião aqui.

Nem tudo são flores e ainda tenho um pé atrás pesado com a série. Se o final da primeira e o início da segunda temporada fossem descartados, a série seria perfeita, provavelmente não iria reparar nos defeitos. O elenco é grande e a série tenta explorar todas as histórias de todos os personagens, o que torna tudo muito solto e superficial. Até os personagens principais às vezes ficam sem a atenção devida. Sei que nada disso vai se ajeitar, mas espero uma terceira temporada coesa, e tecida de forma que tudo se ligue e que todas as pontas soltas sejam atadas nem que seja em um nó que nunca mais vá se desfazer. As expectativas continuam baixas e aguardo para que, provavelmente em outubro (mês de estreia da primeira temporada na Netflix) a história me surpreenda de uma vez por todas.